segunda-feira, 4 de abril de 2016

Minha Experiência Vegetariana

 
Estou ficando um pouco viciada com essa coisa de fazer desafios pessoais. Já tive épocas de ficar meses sem celular, semanas sem internet, alguns dias sem televisão, 40 dias sem carne vermelha e agora, fui vegetariana por 40 dias. Seria loucura? Não, gosto desses desafios porque eu consigo sentir que tenho controle sobre minhas próprias atitudes e meu corpo, além de tentar criar hábitos saudáveis para a minha vida. Não tem nenhum motivo religioso ou sei lá, cada desafio teve um motivo particular, mas sem sombra de dúvidas tirei grandes lições deles.

Carne era realmente algo que eu julgava essencial na minha vida. Não aceitava sequer uma garfada sem "mistura". Era carnívora convicta. Não conseguia viver sem. Tudo começou a mudar lá no ano passado, quando estava almoçando e do nada pensei:

Na minha época sombria, comungando o corpo e o sangue do capitalismo no lado oriental de Berlin.
 E se eu parasse de comer carne?

Eu estava numa época (ou melhor, estou) de questionar sobre o que é importante na minha vida, o que faz bem para mim, o que realmente me deixa feliz, o que é bom para o planeta. Então simplesmente decidi que iria fazer o teste. Será que eu conseguiria, pelo menos, viver pouco mais de um mês sem comer carne vermelha?

Céus, foi fácil. Muito fácil. Comecei na quarta-feira de cinzas e mesmo depois de acabar a quarentena, só voltei a comer o bifinho do almoço uns 15 dias depois. Mas eu não saí da mesma forma que entrei. Tirei muita coisa positiva nessa experiência. A começar pelo fator alimentação mesmo, comecei a variar mais. Mais frango, peixe, frutos do mar e até sem nada, por favor. Voltei a comer carne vermelha, é verdade, porém numa quantidade muito menor e com mais consciência.

A partir daí já estava decidida que depois do carnaval eu realmente faria minha experiência vegetariana. E voilá, expeiência feita.


Tá, mas você só comia mato? Nada. A. Ver.

Confesso que tive minhas tentações. Por incrível que pareça, o que eu mais tinha vontade de comer era um belo bacalhau, peixe frito, camarão e pizza de frango. Coisas que eu não dava o mínimo valor. Mas mesmo assim, foi bem mais fácil que pensei. E olha que seguir uma dieta diferente com o resto da casa comendo de um tudo pode ser bem complicado.

Optei por continuar comendo ovos e leite, porque mesmo sabendo que eles não são lá tão maravilhosos assim para a saúde e o meio ambiente, eu sabia que - pelo menos dessa vez - eu não conseguiria. Então assim eu já tinha minha fonte de proteína, obrigada.

No almoço, eu geralmente comia feijão, farofa, ovo cozido, salada e as vezes uma batata. As vezes comia macarrão com purê de batata e algum molho gostoso também. Normal. A mesma coisa que sempre comi, só que sem a mistura, ou só com ovo. No café da manhã e da noite, não mudei nada. Pão, queijo/manteiga/requeijão e achocolatado. Inclusive, esse trio é outro vício na minha alimentação que me incomoda. Tenho rever isso aí qualquer dia.

Já se passou uma semana que completei o desafio, e para não falar que continuo vegetariana, comi o camarão que sobrou da semana santa na segunda e o filé de siri que minha tia fez especialmente para mim na terça. Até recusei o filé a parmegiana que minha mãe fez para mim, achando que eu já ia voltar a comer de tudo. Ela não ficou muito feliz, mas...

 

E depois?

Sim, eu pretendo continuar a evitar pelo menos carne vermelha. Não quero que seja uma proibição para mim, mas que pelo menos isso não seja algo rotineiro. Sei lá, um churrasco ou alguma coisa quando tiver vontade não vai me matar nem fazer tanta diferença para o planeta. No entanto, e se eu falar para vocês que eu não tenho mais tanta vontade?

Outra coisa que eu preciso falar é que ser vegetariana não é bem ser saudável nem comer carne é sinônimo de artérias entupidas. Tudo depende de várias coisas. Não é 8 ou 80. Durante os 40 dias, engordei, emagreci, passei uns dias com a alimentação completamente desregulada (como a minha rotina) então a questão vai bem mais além mesmo. 

A mudança foi mais mental que física. Sendo completamente sincera com vocês, do ponto de vista da minha saúde, percebi zero mudança. Nem para melhor, nem para pior. Até porque, tirando o fato de ser sedentária (estou tentando mudar isso), eu já era uma pessoa razoavelmente saudável por natureza. Minha intenção aqui nunca foi virar aloka natureba nem nada do tipo. É uma questão mais de ter consciência com o meio ambiente e cultivar cuidados básicos com a minha saúde, e consequentemente, com a estética que eu acho bacana para mim. Então por mais que eu não tenha percebido mudanças na minha saúde física de hoje, essa mudança da minha relação mental com o alimento com certeza vai refletir no meu corpo no futuro. 

E o melhor é a opinião das pessoas sobre a minha posição. Nunca vi tanta gente preocupada com o meu nível de proteína, Jesus. Se estão achando ruim, mandem um pote de Whey para a minha casa, queridos. Haha. Sério, durante esse tempo, ouvi de tudo um pouco. E é um saco. Ninguém é obrigado a seguir uma dieta específica em prol de nada, nem virar ativista (até porque nem eu sou) mas eu ainda me surpreendo como, mesmo com tudo o que acontece a nossa volta, as pessoas não conseguem parar um segundo para pensar sobre o que faz bem para si mesmos e o meio em que vivem.

A foto ficou feia, mas achei engraçada e quis postaaar. Quero nem saber.
Se eu recomendo virar vegetariana? Acho que vale fazer uma experiência sim. Se questionar sempre é bom, e como qualquer outro desafio pessoal, acho válido pelo autocontrole e autoconhecimento. No entanto, qualquer iniciativa dessas tem que partir de você e somente de você. Pensem nisso.

Não estou aqui para levantar bandeira de nada, só estou contando experiência minha mesmo. Caso se interessarem mais pelo assunto, tenho links bem sinceros para mostrar a vocês, de pessoas que também fizeram alguma experiência vegetariana.

+ Minha experiência vegetariana | Noo
+ 5 dilemas de uma namorada quase-ex-vegetariana | Papo de Homem
+ Vegetarianismo: um relato da minha experiência | Nunca Quis Ser Alguém

E vocês, já fizeram alguma experiência do tipo? Fariam? Contem-me! haha




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu pitaco!