sábado, 23 de abril de 2016

Um Ano Inesquecível (Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças)

Já estava com saudades de resenhar livros por aqui. Isso não acontece há séculos porque: 1) estou tentando fazer resenhas em vídeo; 2) esse tipo de post dá um trabalho danado; 3) não estou lendo tantos livros assim. Snif.

Hoje estou aqui para falar do livro que enlouqueceu as fãs da literatura teen do Brasil. Juntar quatro contos fofinhos, sobre as quatro estações do ano, das quatro maiores escritoras para adolescentes. num livro mais fofo ainda, não tinha como dar errado. É óbvio que Um Ano Inesquecível seria um sucesso de vendas, e foi mesmo. Seja jogada de marketing ou o que for, eu fico muito feliz com esse boom do mercado editorial brasileiro. É incrível saber que mais jovens estão consumindo literatura, e melhor, literatura da terra.

Cada autora ficou responsável em escrever uma estação do ano determinante na vida da personagem. Uma época na adolescência que marcou ou mudou sua vida inteira. A Paula Pimenta falou sobre uma viagem de inverno, a Babi Dewet sobre um outono conturbado, a Bruna Vieira sobre uma primavera decisiva e a Thalita Rebouças sobre uma aventura de verão.

Não é todo mundo que vai ter paciência com a protagonista da história de inverno. Mabel embarca numa viagem com os pais para o Vale Nevado, no Chile, mas tudo o que ela queria na verdade era ir para um sitio com os amigos - para ver um boy que não vale nada - e por isso ela faz o início da viagem um inferno. Até conhecer um tal de Bernardo e... Já sabe né? E eu juro que não é spoiler, isso acontece no início do conto mesmo. Tenho que dizer também que me identifiquei com a Mabel, mesmo achando a menina uma chata. Quantas vezes eu estive num lugar maravilhoso e me emburrei por alguma coisa nada a ver? Hahaha. Acontece. Se por um lado já não tenha tanta paciência para certas personagens, Paula Pimenta tem a capacidade de escrever tudo de um jeitinho tão gostoso que não tem como não gostar. O cenário do Chile foi descrito perfeitamente, me remeteu de cara àquele lugar maravilhoso que fui há dois anos e já quero voltar.  É um conto bem fofo e previsível, estilo Paula Pimenta mesmo. É o mais - digamos - infantil, do livro.

Já comecei gostando do conto de outono, porque a Babi Dewet não contou a história de uma só pessoa, mas de duas, sob o ponto de vista de Anna Júlia e João Paulo. Anna e João são dois opostos. Um ama e a outra detesta música, os dois são de humanas, mas um é do time da arte na praia e a outra estuda muito para fazer direito como o pai sempre quis. E é no vão do Masp - onde Anna passa todos os dias no caminho do estágio num escritório e João toca para arrecadar dinheiro para os pobres - que eles se encontram e tudo acontece. É o conto mais maduro do livro. Babi conseguiu realizar a difícil tarefa de retratar o outono brasileiro de forma plausível, porque, sejamos sinceros, boa parte do país nem sabe o que é isso. A escolha do cenário foi fundamental, São Paulo e toda sua inconstância. Um ponto negativo é que Babi pesa um pouco a mão, deixando o conto extremamente lento, principalmente para o público-alvo do livro. Não acontece muita coisa. Por outro lado, justamente por sair do convencional e privilegiar as sensações às ações, ele se destaca dos outros e se mostra interessante.


O conto da primavera não foi o que mais me divertiu ou o que mais me fez suspirar, mas com certeza foi o mais relevante de todo o livro. Gostei logo de cara da Jasmine, a protagonista. Cheia de personalidade, ela tem um cabelão cacheado (como o meu ♥) e se ama do jeitinho que é, sem mais - mesmo que nem todo mundo goste disso. Jasmine está quase reprovando em matemática no terceiro ano. E para tentar resolver o problema, ela aceita aulas de reforço do professor que mais odeia. Mas a vida acabou lhe dando uma forcinha, colocando no caminho dela um estudante de engenharia, o David. E aí coisas acontecem. A Bruna Vieira fez uma escolha maravilhosa ao falar de bullying, autoestima e superação. Não sou fã de nada didático demais, nem tenho nada contra aquilo que nos entretêm e ponto. Porém, é claro que discutir assuntos importantes numa história - principalmente quando o público-alvo é infanto-juvenil - agrega muito valor.

Thalita Rebouças já é ensolarada por si só, a melhor autora para escrever um conto de verão. De longe, foi o que mais me divertiu. Ele conta a história de uma aventura de carnaval vivida por três amigas muito doidas, a Kaká, a Tati e a Inha. Uma quer ser princesa (de casar com um príncipe meeesmo!), a outra quer ser famosa a qualquer custo, e a Inha só quer ser uma nutricionista de sucesso. Graças ao namoro do irmão de Tati com uma funkeira famosa, as meninas vivem seus 15 minutos de fama e me tiram muitas risadas e suspiros de amorzinho.


Falando dos aspectos visuais, como todos os livros da Gutenberg que tenho, é esteticamente muito agradável. As páginas são amareladinhas, o papel é de qualidade, e os contos divididos por detalhes bem sutis e fofos. Vocês sabem que valorizo muito esse tipo de cuidado, né? 

Um ótimo livro para aqueles dias que você quer algo bem levinho só para descontrair. É realmente beeem adolescente, então não sei se todos os públicos gostariam de lê-lo. Perfeito para esvaziar a cabeça, distrair. Tem dias que a gente não tá afim mesmo de pensar demais, né? No mais, não é aquela obra que muda a sua vida, sua percepção da realidade, sei lá. Não que isso o torne pior, a proposta realmente não é essa. Se eu tivesse lido há uns 4 anos, talvez eu tivesse gostado ainda mais. Porém, por hoje ele só vai ganhar quatro estrelinhas.

E vocês, já leram o #livro UAI? Gostaram? Me contem!

2 comentários:

  1. Meninaaaa, estava doida para ver uma resenha desse livro, a sua está bem completa e vai direto ao ponto. Estou pensando se compro o livro ou não, amo a Paula Pimenta e a Thalita Rebouças, passei minha adolescência lendo as duas <3
    PS: as fotos ficaram lindas !
    Beijos,
    #fiquerosa

    Fique Rosa | Meu Canal YT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, compra e vai ler na praia para relaxar e relembrar os bons tempos! haha

      Excluir

Dê seu pitaco!