sábado, 13 de fevereiro de 2016

Diário de Universitária: Primeiros dias de Jornalismo

 

Poderia definir minhas primeiras impressões sobre o curso em duas palavrinhas: é isso. É isso que eu quero ser quando crescer. É isso que quero para a minha vida. Essa sou eu. Eu pertenço a esse lugar. E talvez vocês não tenham ideia de como é bom se sentir assim.

O meu recente vício por séries me deu belas olheiras logo no primeiro dia de aula. Ótimo. É que dormi umas duas da manhã assistindo Breaking Bad e acordei às seis. Parecia que estava tudo certo, até me lembrar que ainda tinha que pegar um ônibus. Ah meu Zeus. Nem maquiagem passei. Dizem que a primeira impressão é a que fica, então é óbvio que queria parecer pelo menos bonitinha. Corri, mas não adiantou. Perdi o ônibus. Cheguei de cara limpa, ruiva e atrasada. A minha sorte foi perceber que isso não é lá tão incomum. Ufa.

Não estava nervosa nem nada. Eu já sabia o que esperar, pesquisei muito antes de decidir e estava bem segura. Além disso, dois amigos estudariam comigo, o que já dá uma ajudinha básica - só depois descobri que nem sempre é tão legal assim.

O primeiro dia foi bem tranquilo e normal, para falar a verdade. Na primeira aula, a turma de jornalismo e publicidade estavam juntas. Foi só apresentação mesmo, sobre os cursos, a faculdade, os professores e afins. Era o básico do básico, mas o suficiente para começar a respeitar e amar, ainda mais, a comunicação.


Já sabem quem sou eu, né? A ruiva estranha da fileira da frente. Isso foi no primeiro dia de aula, peguei a foto do instagram de um professor.
Fomos apresentados ao jornalismo em si só na segunda aula, quando as turmas foram separadas. Posso ser sincera? De início não me empolguei muito com a minha turma não. A primeira vista, não me identifiquei com ninguém. De qualquer forma, eu gosto desse clima. Do quase desconhecido. Salvo meus dois amigos, ninguém sabia nada sobre ninguém, e é incrível poder recomeçar quase do zero.

"Qual o seu nome? O que você está fazendo aqui? E qual área você quer seguir?"

Jornalismo está entre as minhas opções desde sempre. E mesmo tendo certeza quase absoluta de que eu estava no lugar certo, não sabia dizer em palavras bonitas o que estava fazendo ali. O meu alívio, ou não, é que aparentemente eu não era a única. Pior, tinha gente que não tinha a menor ideia do porquê estava naquela sala. Alguns nem ao menos usaram o clichê "gosto de ler e escrever". É meio malvado, eu sei, e espero que ninguém leia isso, mas eu já estava fazendo minhas apostas internas. Esse daqui vai se formar, esse não vai. E eu, será que eu vou? Não dá para ter certeza.

"Sou Alice, escolhi Jornalismo porque sempre gostei muito de ler, de escrever, de história, de internet, de viajar e sou muito curiosa. Quero trabalhar com revista ou web, porque o meu sonho de ser correspondente internacional é muito fora da minha realidade."

Será?
Céus, como estava feia. Peguei do instagram de outra professora.

Por outro lado, quanto mais os professores falavam, mais eu me apaixonava. A cada experiência trocada, a cada jargão, a cada dica e história de vida, meu olhos brilhavam.  São pessoas, acima de tudo, inspiradoras. O cara que entra no presídio em rebelião atrás de uma boa história, a maluquinha que nunca ficou desempregada, a que largou tudo para morar na China... Eu tentava não parecer tão boba, só não sei se consegui.

Gostei de todos eles, pelo menos a princípio. É muita ilusão minha achar que as coisas vão correr às mil maravilhas nesses quatro anos. Não serão, é claro. Isso já aconteceu comigo antes. O que tenho certeza, entretanto, é que não sou mais tão babaca quanto era no colégio. Acho que não vou mais me aborrecer por tanta bobagem.

No segundo dia, já escrevi meu primeiro texto. Coisa básica, uma notícia de 10 linhas sobre a aula de História da Mídia. Para a minha surpresa, me disseram que estava muito bom. E o pior é que eu estava louca para ver meus erros, quero melhorar de qualquer forma. Aparentemente, não os tive. Se isso é bom ou ruim? Não sei. Também já li meu primeiro livro da biblioteca: Jornalismo Diário, da Ana Estela de Souza Pinto. Quero devorar aquilo tudo.

Com o tempo, estou conhecendo melhor a minha turma. Algumas pessoas são bem interessantes até, estou gostando muito deles. O que mais gostei é que eles não tem frescura, são gente boa, simples e legais. Na verdade, parece que todo o pessoal de comunicação é assim. Own. <3


Fora da sala de aula, a faculdade também está se mostrando ainda mais agradável do que eu pensava. O ambiente é outro, sabe? É uma delícia sentar nas mesas com os não-tão-antigos amigos do colégio que estão lá no mesmo campus para bater um papo, ir à favela dos fundos rachar uma coca de 2l com a sua turma ou abrir um livro enquanto a aula não começa.

Também já tive problemas. E sim, já quase desisti pela primeira vez. Problemas em casa. Vou ser sincera, essa coisa da família pagar sua faculdade é bem chata. Eu me sinto uma devedora. Já eles se sentem cheios de direito sobre mim. Sobre o meu curso, o que visto, o que faço... Mas foi uma escolha que fiz. Engoli um sapo gigante essa semana para não desistir do curso e espero que tenha sido o último. O meu sonho é grande, já a minha paciência, nem tanto.

Já estou quase me acostumando. Tinha muitas dúvidas sobre a minha capacidade de ser jornalista, mas a faculdade está me dando mais confiança aos pouquinhos. Sei que vou sofrer para dar a cara a tapa, mas se for assim que eu tiver que aprender, assim será. Ainda vou apanhar muito. Estou disposta a tudo. Eu quero isso. Quero tentar.

Isso é só o comecinho, às vezes tenho que me lembrar que em breve vou começar outra faculdade. Mas não se preocupem, vou contar toda essa loucura que minha vida vai se tornar por aqui. Mais para a frente, falarei um pouco sobre as matérias e outros detalhes do curso. A minha intenção é, além de relembrar tudo isso no futuro, ajudar quem está nessa época de escolher uma profissão. Textos assim me ajudaram muito, espero ajuda-los também. <3

E vocês, como foram de início de faculdade? Alguém aí também faz jornalismo ou quer fazer? Me contem!


2 comentários:

  1. Amei o post e me identifiquei em vários momentos rs.
    Acabei de me formar em Publicidade e Propaganda e durante vários anos tive aula com a turma de jornalismo. Também me senti estranha e meio "deslocada" no primeiro dia de aula, mas depois tudo se encaixa.
    Sei bem como é essa questão da sua família pagar a faculdade, é bem chato mesmo e por conta disso quase desisti do curso algumas vezes, mas acredite, vale a pena engolir alguns sapos para atingir nossos objetivos. Te garanto que essa fase vai passar logo, logo :))
    Beijos,
    #fiquerosa

    Fique Rosa | Meu Canal YT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também encontro a turma de publicidade direto e simpatizo bastante com esse curso também, inclusive, acho que vou querer cursar publi também. Longa história.

      Pois é, eu me chateei bastante, mas decidi seguir em frente. Acho que não vale a pena abrir mão de uma coisa tão maior por orgulho, mesmo que eu esteja certa.

      Excluir

Dê seu pitaco!