terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Rock in Rio: One Republic, The Script, Show de Abertura | #RockInRoad

 
Há 30 anos (quase 31), meu pai pegou um ônibus sozinho e foi ao Rio ver 10 dias de shows de bandas que muitas vezes ele sequer conhecia. Sabe como é, a Maceió dos anos 80 não era como os dias de hoje, não tinha internet. Mas mesmo assim, meu pai ficou sabendo do Rock in Rio, comprou os ingressos - que antigamente eram baratos - e foi lá cantar Love Of My Life, não vaiar o Erasmo Carlos (ele jura que não vaiou!) e tomar banho de lama. E foi por ouvir tantas histórias dele que eu desejei tanto ir para o festival algum dia.

Até que esse dia chegou!

+  Primeiras impressões sobre o Rio de Janeiro


Chegou o dia! Eeee. Saímos cedo do hotel e fomos encontrar uma prima do meu pai lá na Praia do Recreio. Ela iria conosco no primeiro dia. Sentamos num quiosque para um refri e em seguida fomos para o apartamento dela terminar de nos arrumar e almoçar. Ela era chefe de cozinha, yummy.

Só era possível chegar à Cidade do Rock de duas maneiras: BRT ou ônibus executivo. Por mim eu ia de BRT mesmo, mas meu pai achou melhor desembolsar R$ 70 reais por pessoa para ter mais conforto no ônibus executivo, afinal, a gente estava com uma criança e tudo mais. O serviço realmente é infinitamente mais confortável que o BRT, a filha da outra prima do meu pai chegou até a passar mal lá. Mas na boa, a não ser que você tenha um bom motivo para gastar R$ 70 reais, vai na muvuca mesmo que não mata.

Lá para as 15h pegamos o ônibus no Shopping Recreio e foi tudo tranquilo. Ele nos deixou bem pertinho da Cidade do Rock e a fila era mínima. Finalmente, estávamos no Rock in Rio!
 

Minhas primeiras impressões foram as melhores. Tudo lindo, tudo limpinho, grama sintética, gente bonita, gente estilosa, good vibes... Só esqueceram de avisar aos funcionários onde as coisas ficam, pois passamos mais de hora procurando onde ficava o guarda volumes que meu pai tinha alugado. Só depois de muuuito tempo conseguimos achar. Tá aí outra coisa que também não tinha tanta necessidade de gastar dinheiro. Não lembro quanto foi, mas sério, só precisa gastar com isso se você estiver carregando uma verdadeira mala. E na boa, qual a necessidade de levar uma mala para um lugar como esse?



Quase antes de desistir de procurar o guarda volumes, estendemos nossa canga e marcamos um lugar bom para ficar. A não ser que você chegue de noite, relaxa, dá para pegar ótimos lugares tranquilamente. Até bem pertinho do palco, se você quiser. Então é só sentar e esperar seu show começar. Leva uma comidinha para fazer um piquenique no pôr do sol carioca. É uma delícia.

Mas antes não esquece de dar uma passeada nos stands e lojinhas de lá, além da Rock Street - que eu nem fui. Tem muita coisinha meio caras, mas bonitinhas, além de brincadeiras, jogos, brindes e outras coisas que os patrocinadores preparam em seus stands. Também vale ficar na porta dos camarotes esperando algum famoso, haha. Já os brinquedos... lamento informar, é quase impossível dar uma voltinha. Só a fila para entrar na fila é quilométrica. Haja paciência.

A comida e a bebida é cara como em qualquer outro show. Cerveja 10 reais, refri 8 e um copinho de água, 5 reais. A alternativa é levar a água - ou encher a garrafinha nos bebedouros de lá - e a comida. Já a cerveja, só comprando lá mesmo, se você quiser tomar umas.




Ainda demos uma entrevista para o G1, meus amores! Pois é, eu fui dar uma voltinha com o meu pai e quando voltei, a jornalista estava lá esperando ele para uma entrevista por ele ter ido ao primeiro Rock in Rio e ter voltado 30 anos depois com a família. Ela me entrevistou também, e o pior de tudo foi ela ter escrito que eu tinha dito que minhas amigas estavam com inveja por eu estar lá. De onde ela tirou que eu disse isso? Haha. Para acabar de completar, ela ainda escreveu o nome do meu pai errado.

O legal disso tudo? Eu me vi ali nessa situação. Não escrevendo as coisas erradas numa matéria - haha - mas cobrindo um evento daquele, procurando histórias para contar. Cada vez que vejo esse tipo de coisa, tenho mais vontade de virar jornalista.



O palco mundo literalmente se abriu com fogos. O frio na barriga começou já nos primeiros acordes do medley de Bohemian Rhapsody do Queen com o tema do Rock in Rio. O show de abertura dos 30 anos de festival, sinceramente, não teve nada demais. Mas é só jogar no palco o melhor da música brasileira - ainda viva, claro - que passou por lá desde 85, cantando seus hits, para a festa ser feita. Foi muito legal poder ter amostras grátis de artistas como Ivete Sangalo (que os rockeiros me perdoem, mas não vi ninguém parado quando ela começo a cantar), Blitz, Dinho Ouro Preto, Skank (amo!), Titãs, Paralamas... Cantei e pulei feito uma louca.

Os shows no Palco Sunset começaram lá pelas 15h mas o único show de lá que eu estava afim de ver mesmo era o tributo à Cássia Eller, o último. Deu certo? Não muito. Até consegui arrastar minha mãe comigo até o Sunset junstamente na hora que o Nando ruivo Reis estava no palco. Mas parece que ele foge de mim, viu? Porque de tanta gente, só conseguimos chegar lá quando ele parou de cantar. É a terceira vez que não consigo ver o ruivinho mais amado do Brasil.


De volta ao palco mundo, The Script. Me surpreendi ao saber cantar metade do repertório da banda da qual, honestamente, eu nunca tinha ouvido falar. Dei um jeitinho até com as que eu não conhecia, aprendi na hora e cantei a plenos pulmões como se deve ser!

One Republic foi a segunda banda mais esperada por mim. Não que eu seja grande fã, mas gosto bastante de algumas músicas, sem falar de Counting Stars, que acabou marcando toda uma época da minha vida. E mais uma vez, cantei, pulei, me emocionei, me acabei. Nem sabia que conhecia tantas músicas do One Republic! Depois até vi o show pela TV e não achei isso tudo, mas lá a coisa muda completamente de figura. Amei.


Depois veio o grande momento: o show do Queen + Adam Lambert. Porém, tenho tanta coisa para falar sobre isso, que tive que deixar para um post a parte.

Alguém aqui já foi para algum Rock in Rio ou outro festival de música? Tem vontade de ir? Me contem!


2 comentários:

  1. Essa última foto é lindaa!! Tem uma de um outro post que você tá perto do palco que também é linda hahah adoreii ❤️

    ResponderExcluir

Dê seu pitaco!