segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Now Playing: Dear Dad


Não gosto do dia dos pais. Nem das mães, nem dos namorados... Já entendeu né?

Mas hoje... não sei, continuo não gostando da data, mas me deu uma vontade de sei lá, falar sobre isso e ao mesmo tempo... Desculpem as reticências. É que para mim é difícil falar de uma pessoa tão singular na minha vida. Tão antagônica. Tão eu. Ele consegue passear pelos extremos mais profundos de minhas emoções. De me proporcionar a maior das felicidades e a maior das tristezas. Das minhas melhores às piores lembranças, ele está lá nas duas. É bizarro.

O que não sei se ele sabe, nem sei se quero deixá-lo saber, é o quando eu fucking love him. Ele é o tipo de cara que se olha e diz: quero ser assim quando crescer. Não por ter grana, um emprego dos sonhos ou ser a pessoa mais bondosa do mundo, até porque ele não é nada disso. A propósito, detesto aquele mimimi de "Pai Herói" ou qualquer clichê do tipo. Ele não é perfeito. Odeio perfeição.

Ele viveu muito e continua vivendo. Não falo em quantidade, falo em intensidade. 50 e poucos anos sem se desfazer dos seus planos nem por mim, nem por ninguém. Às vezes, ele parece até um menino porque, secretamente, a gente se adora. Ele me tira desse lugar até muito mais de 93 mil milhas de distância. Tem dias que pomos fogo no mundo, depois me leva para casa. Porém, não me deixa esquecer que a vida é dura. È, a vida tem dessas coisas.

Não encontrei alguém para amar, ainda é o único que eu quero para a minha vida. Sortuda é a mãe. Papai nem sempre é bom com sua filha, mas sei que ele me adora e me acha foda. Imagino o dia em que estarei num aeroporto, dessa vez sozinha, porque por amor ele me deixará ir. Ele deve saber o quanto acredito. Afinal, - mais do que ninguém - sabe que não dá para parar o trem. Só temos que viver. And we've been doing it our way.

Inconsciente, tentei ser como ele quando crescesse. Até agora, não passo de uma cópia paraguaia de um aspirante à alemão. Céus, grandes garotas não choram, porra. I don't want to talk about it. Deixe que nossas músicas falem por mim.

Clique em mais informações para ouvir as músicas 





















*Esse post obviamente é em homenagem ao dia dos pais, por mais que eu não goste da data. Quis escrever sobre mas como evito o assunto, achei melhor fazer minha pequena coletânea de músicas que me lembrem meu pai para ouvir quando desse vontade. Acabei escrevendo um pouco mesmo assim porque não consigo não escrever muito. Ah, sobre as músicas, elas são ou músicas que marcaram por ouvirmos juntos num momento legal, ou músicas que ele gosta muito, ou músicas que só eu gosto mas que de alguma forma acho que tem a ver com ele. Todas lembram meu pai.

E vocês, que música fazem vocês lembrarem o pai de vocês? Me contem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu pitaco!