sábado, 27 de abril de 2013

Boletim

Tumblr_m9rqtvyfpg1qlluv1o1_500_large

Quem diz que mudanças não assustam, é um tremendo mentiroso. Sair da zona de conforto e pisar num terreno desconhecido é apavorante. Principalmente quando saímos das planícies calmas do ensino fundamental e chegamos no terreno acidentado do ensino médio, andando numa velocidade cada vez mais rápida, sem nem conseguir ver direito a paisagem.

Mas que porcaria é essa que tá no quadro? Que raio de exercício é esse? Já é assunto novo? Trabalho? Que professora filha da mãe, não liga pro trabalho que tive. Prova? Ok, tenho que passar a semana estudando. Ai meu Deus, não sei de nada. Tirei 0. Desisto.

Descobri nos últimos meses, que os últimos três anos da escola são assim. Alunos nerds na recuperação, alunos ruins ficando para trás, e três anos dedicados a estudar coisas que não te interessam e nunca serão colocadas em prática, tudo em prol de uma vaga na universidade. São três anos de desespero e loucura, mas que mesmo assim não vai te preparar para a vida ainda mais maluca que nos espera do lado de fora da escola.

Então o boletim azul piscina se transmuta num papel de notas num tom vermelho sangue. Você chora. Sua mãe se decepciona e põe a culpa na internet e esquece que já passou por isso. Você pensava que seria boa para sempre. E descobre que ser boa não é o suficiente. Tem que ser a melhor. A melhor da turma, da escola, do estado, do país. Você se acha burra e incapaz. Você chora ainda mais.

Você provavelmente ainda não sabe o que quer da vida, e se sabe, não sabe como vai chegar lá. Você se toca que seus melhores amigos vão competir com você, e que daqui para frente é cada um por si. A palavra "concorrência" faz a sua espinha gelar, e você está prestes a socar a cara de quem falar ENEM e vestibular outra vez, sendo que você só consegue pensar nisso.

Você vai passando, se arrastando, eis que você chega lá. Acabou. Saiba que esses três anos passarão rápido e você sentirá (acredite!) saudades de tudo. Chora de felicidade e tristeza por deixar esse mundo para trás. Aí sim, é que a coisa fica séria: a faculdade. 

Ou melhor, até que a gente conheça o tão temido mercado de trabalho. Porque crescer, irmão, não é fácil não.

domingo, 21 de abril de 2013

A Segunda Guerra Mundial no facebook

Quem aí gosta de história? Eu mesma amo história, principalmente quando se fala de Segunda Guerra Mundial. Eu acho um tema muito interessante, parece que por mais que a gente veja um documentário ou leia um livro sobre o assunto, nunca enjoa!

Navegando pela internet, acabei descobrindo essa sátira da guerra, contando a história como se fosse o facebook. Gostei bastante da forma como o tema foi abordado, achei bem engraçado. É legal para quem gosta de história, e também para quem não gosta muito, de repente você se interessa pelo assunto.



Gostaram? Achei bem criativo.

Meus favoritos: A hora certa de me apaixonar


texto-amor-adolescente
Você me aconteceu em uma quinta-feira cinzenta, movimentada e corrida. Nada parecido com as comédias românticas que eu costumava assistir. E foi me conquistando aos pouquinhos. Primeiro, com seus gostos tão parecidos com os meus. Depois, com seu jeito carinhoso de me mostrar seu ponto de vista. E, por último, para me ganhar de vez, usou toda a sua capacidade de provar para o mundo a força da palavra amizade.
Com você eu não achei que era amor. Eu já tinha achado que era amor outras vezes, estava tentando evitar a palavra. Achei, uma vez, que era amor em um sorriso galanteador, desses que você esbarra e perde o ar. Olhei para o dono do sorriso e pensei: tô pronta. Óbvio que eu não estava pronta. Mas eu achei, como sempre, sempre acho. Achei que o amor ia aparecer naquele sorriso, que eu ia ser feliz como nos contos de fadas, coisa e tal. Não ia. A graça do sorriso passou no primeiro beijo.
Depois foram uns olhos azuis que achei que iam me ganhar. Tão bonitos, desses que parecem com o oceano. Achei que eram eles. E eles me olharam. E eu pensei: é agora! De novo, eu achei. Que tinha aparecido, finalmente. O tal cara da minha vida, que sempre falavam. O tal do cara certo, aquele que ia mudar tudo por aqui. Mas não era. Não era o cara, nem a hora.
Você não. Você apareceu enquanto eu não estava olhando. Apareceu enquanto eu estava concentrada em ler um livro, cortar o cabelo, fazer um novo curso, conhecer um novo bar, assistir a um novo filme. Você me apareceu enquanto eu olhava para todos os outros lados, sem, na verdade, procurar nada. E, de relance, distraída e despretensiosa, acabei achando: você.
Você e o seu sorriso sem grande coisa. Você e seus olhos castanhos. Você e sua normalidade. Você e sua loucura. Você e sua mania de ser lindo ao não ser o cara mais bonito do mundo. Você e suas palavras sinceras. Você e seu jeito admirável de ser fiel, leal, justo, inteligente e humilde. Você e suas frases de apoio, sua força, seus risos e sorrisos. Você e seus defeitos, suas falhas, suas faltas, seus buracos e suas ausências. Você e a lição de que não há por que esperar que seja a hora de viver um grande amor. Porque, depois que você surgiu, eu aprendi que o amor de verdade é mil vezes maior do que eu podia imaginar. E aparece sem aviso, sem hora marcada, sem perguntar “tá preparada?”. Acho, sei lá, que o amor de verdade é um tapa na cara que te acorda pra vida. Tipo você. Que, sem que eu percebesse, me ensinou o que era o amor.

Autora:
Karine Rosa, tem 21 anos, escorpiana, escreve em seu blog (http://www.karinerosa.com/e é colunista do blog Depois dos Quinze. 

sábado, 20 de abril de 2013

Novo layout!


Quem é blogueira iniciante, que ainda por cima não tem muito conhecimento de webdesign e que ainda por cima não tem grana para pagar alguém para deixar o blog bonitinho, sabe como é o sufoco para fazer tudo sozinha. Tem muita gente nessa mesma situação que recorre aos layouts frees, mas eu acho melhor improvisar do meu jeito para que tudo fique com a minha cara. No meu caso, já estava cansada daquele outro layout, que eu também gostava, mas que eu queria muito mudar.

Eu iria fazer um header decente, mas eu não aguentei e deixei simples assim. Eu gostei do novo lay, um fundo fofinho e o resto bem simples. Espero que vocês tenham gostado da mudança também. <3


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Novidades musicais da semana


332mhog_large

Essa semana foi agitada no mundo da música, não foi? Saiu uma nova música da Avril Lavigne, nova música da Selena Gomez, um clipe muito legal de Paramore e ainda saiu o tão aguardado clipe de "Heart Attack" da Demi Lovato.

Fazia um tempinho que a Avril Lavigne, a garota que parece que vai sempre parecer uma adolescente, não aparecia com uma música nova, não é mesmo? Essa semana ela divulgou "Here's to never growing up", uma daquelas músicas para colocar para tocar, dar aloka, e esquecer os problemas. Eu achei o som meio parecido com as músicas mais antigas da Avril, mas eu gostei. 



Para falar a verdade não vou muito com a cara da Selena Gomez não, a pesar de gostar de umas duas músicas dela. "Come and get it" fala de alguém que está esperando o outro tomar uma atitude, a letra é um pouquinho mais ousada que outras músicas dela que eu conheço. Não me apaixonei pela nova música da Selena, prefiro mil vezes mais "Hit the lights", que é uma das minhas músicas preferidas. Ah, mas a capa do single, com a Selena toda trabalhada no vermelho, está muito linda.



Sabe aqueles clipes que são esperados demais e no fim não são tão legais quanto a gente pensava? Foi isso que aconteceu com o tão falado novo clipe da Demi Lovato"Heart Attack". Eu sei que tem muita gente que amou esse clipe de paixão, e a pesar de eu ter achado ele realmente bem legal, não o achei tão bombástico assim. No clipe, ela toma banho em uma coisa preta, que parece petróleo, sei lá, e fica com as mãos e blusa sujas num fundo branco. Até lembrei da Shakira, em "La Tortura". Em outra parte, ela está cantando com uma banda, bem no estilo dos seus clipes mais antigos. A música é um chiclete, saí cantarolando. E mesmo que  o vídeoclipe não seja tão "Uau!", vale a pena ver, eu gostei bastante.


Se o clipe de "Heart Attack" não alcançou minhas expectativas, o clipe de "Still Into You" do Paramore está muito legal! Divertido, fofo, cheio de luzes, bolas de assopro, e cores pastéis, esse clipe ganhou meu coração. A parte em que a banda está "navegando" num mar de bolas de assopro está muito legal, eu amei muuuuito, e a parte que eles estão em bicicletas num quarto com luzes de balada está muito divertida. Não deixei de reparar também que a Hayley tá usando aquela tendência de meias-calça derretida, quem duvida que daqui a pouco muitas fashionistas estarão usando? Enfim, eu amei o clipe e a música, vocês também vão gostar, dá o play!















De qual música/clipe vocês mais gostaram?

terça-feira, 9 de abril de 2013

Pipoca: Mama


Não vejo muitos filmes - a pesar de ficar na vontade de assistir vários -, tampouco vou muito ao cinema. Mas domingo fui ao cinema com meus primos e fiquei com vontade de comentar os filmes que eu - raramente - assisto, assim como comento os livros que leio, o que acham? Não sou nenhuma cinéfila, mas se eu ver algum filme muito legal (ou muito ruim), eu venho correndo contar o que eu achei.

Se já vejo poucos filmes e raramente vou ao cinema, os filmes de terror são mais raros ainda. Não é meu gênero favorito, sabe? Mas quando a história é boa, e não é só uma carnificina para te dar pesadelos, eu até que curto um filme de horror. E por escolha dos meus primos, lá fui eu ver "Mama".

O filme conta a história de duas garotinhas, Victória e Lilly, que foram abandonadas numa cabana pelo pai e foram encontradas nada mais nada menos que cinco anos depois, sendo cuidadas nesse meio tempo por uma criatura misteriosa chamada "Mama" - que até então era considerada imaginação das crianças. O tio delas e a namorada dele, Luke e Anabel, ficam responsáveis pelas irmãs, sendo que Anabel, uma roqueira que não tem o menor jeito com crianças, não recebe muito bem a notícia. Victória e Lilly, que ficaram privadas crescer como uma criança qualquer, voltaram com o comportamento para lá de estranho. Com a presença delas na vida de Anabel e Luke, Mama começa a atormentar a vida deles.


Sinceramente, eu que nunca havia visto um filme de terror no cinema, achei mais engraçado do que aterrorizante. E olha que eu sou medrosa. Não pelo filme em si, mas pelas palhaçadas que um pessoal perto de nós estava fazendo. Mesmo assim, garanto que você vai ter bons sustos, e Mama é realmente muito bizarra.

Eu não gostei nada da irmã menorzinha, Lilly, que no início eu pensava que estava possuída por alguma coisa. Já Victória é um amorzinho, e que fazia mais revelações sobre Mama. Anabel é muito legal, e é muito encantador vê-la se esforçando para aguentar ficar com as crianças que viram a vida dela de cabeça para baixo e depois vê-la apaixonando-se por elas. Toda vez que eu olhava para Anabel eu me lembrava da Nina de Avenida Brasil, haha. Já Luke é um gato, e só.

Mama, a criatura que cuidou de Victória e Lilly na floresta, é uma figura completamente controversa. Enquanto foi uma "mãe" para as meninas, contando histórias, cantando músicas, dando comida e carinho, Mama se mostrou extremamente possessiva e perigosa. Tem horas que dá muita pena dessa entidade infeliz, 

Os efeitos especiais estão ótimos, eu só não entendi até agora qual foi a das borboletas nascendo de tudo quanto é canto. Cadê a lógica? Talvez seja um filme um pouco mentiroso, mas afinal, quase todos os filmes de terror são. Talvez seja por isso que eu não morri de medo desse filme, porque eu sei logo que aquilo não é verdade e não me deixo levar pela imaginação.

Resumindo, gostei mas não amei, talvez pelo fato desse não ser meu gênero favorito. De qualquer forma, levei alguns sustos e me diverti bastante.

Alguém aí também foi ver esse filme? O que acharam?





segunda-feira, 8 de abril de 2013

Nos últimos dias...


Shopping, chuva, sol, piscina, estrada, sombra e água fresca. Só na moleza. Assim foram os meus dias da semana passada. Como sabem, eu estava viajando em Natal e Fortaleza, perdendo aula e muito preocupada com as provas que começariam na semana seguinte. Já estou de volta e morrendo de saudades da mordomia. 



Domingo, lá em Natal, ficamos de bobeira na Praia de Ponta Negra, bem pertinho do nosso hotel, e pertinho do Morro do Careca, já que o nosso passeio para Genipabu furou. Ainda quero conhecer as famosas dunas, mas fica para a próxima. Depois, ficamos na piscina do hotel.


No dia seguinte, segunda-feira, pegamos a estrada pela manhã para Fortaleza, e só chegamos lá  de tardezinha. Chegando no hotel, tivemos uns aborrecimentos com o recepcionista mas depois ficou tudo ótimo. Essa foto ficou um pouco estranha, mas eu gostei, sei lá. 


Essa é a vista da varanda do nosso quarto. Já tô com saudades, mimi.


Na terça, fomos para o Beach Park! Eu estava muito ansiosa para conhecer o parque, e a pesar da chuva assim que chegamos e o tempo de diversão que perdemos, eu achei o dia muito legal. Quero voltar já!



É muito amor chegar cansadona de andar por aí e se depara com essas esculturas de toalhas fofas desse jeito na sua cama. No outro dia, encontramos dois cachorrinhos muito lindos na cama dos meus pais.

Dos outros dias eu não tenho tanto para falar. Quarta nós fomos às compras na Rua Mosenhor Tabosa e quinta fomos para o Beco da Poeira. Sexta pegamos a estrada para dormir em Campina grande e no Sábado voltamos para Maceió passando por Caruaru. Quando chegamos, fomos direto para a casa da minha tia, e como o shopping é bem pertinho, aproveitei para pegar um cineminha com os primos. Assistimos "Mama", depois eu falo o que eu achei sobre ele. 

Tô achando bem legal fazer esse mini diário semanal. E vocês, estão gostando?

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Dica de blog: 1001 pessoas que conheci antes do fim do mundo


Eu não sou muito de indicar blogs por aqui, até porque a maioria dos blogs que vejo por aí, sinceramente, são bem parecidos os mais diferente já são conhecido, mas eu tenho que indicar esse blog para quem ainda não conhece.

Sabe quando a gente encontra um blog realmente original e que é tão legal que você não vê a hora de vê-lo como livro? Tive essa sensação quando descobri o blog da Aline Vieira, "1001 pessoas que conheci antes do fim do mundo".

A Aline é uma paulista de 25 anos e é Jornalista. Já trabalhou no iG, CAPRICHO, no portal M de Mulher, e agora é editora do canal OMG da Yahoo! Brasil. Ela já morou em Santa Bárbara, na California e ama conhecer a história de vida das pessoas, por isso ela criou o blog para falar das pessoas que passaram pela vida dela.

Eu gostei muito desse blog. Sério, eu o encontrei em um final de semana qualquer e o li inteirinho em um dia. É muito legal conhecer através dos relatos da Aline as pessoas que passaram pela vida dela. Os seus amores, o cara da sala de espera, a velhinha do elevador, o nóia, e assim vai. É bem interessante e gostoso de ler mesmo. As vezes a gente se depara com a história parecida com a de alguém próximo também. Quem gosta de uma boa história, deve dar uma olhadinha.

Gostaram do blog da Aline? Quem aí já conhecia?