quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Um dia antes


Tumblr_mb9fr522wc1rxasxxo1_500_large

O avião foi subindo para as nuvens enquanto o meu coração continuava naquele saguão, com você. Percebi que minhas mãos estavam suadas e os meus olhos estavam molhados. De repente, ouvi o som do meu soluço. Eu estava nas nuvens, mas para mim o paraíso havia ficado lá em baixo.

Seria mais fácil se você tivesse me esquecido. Seria mais fácil se você tivesse guardado seu amor para você, e tivesse engolido a merda do “Eu te amo” que você me disse. Definitivamente não foi a melhor hora para declarar-se para mim.

Um dia antes de eu ir para Berlin.

Você não sabe quanto tempo eu perdi com você. Você não sabe quanta raiva eu tinha de ouvir os detalhes mais sórdidos dos seus rolos. Você vinha chorar no meu ombro e eu afagava sua cabeça sabendo que comigo seria diferente. Tinha que ser muito otário para não perceber que eu gostava de você, mesmo que eu tentasse esconder. Pena que você percebeu quando já era tarde demais.

Eu estava tão empolgada com a viagem, mas com tanta vontade de desistir. Eu queria mesmo te levar pra lá, ou queria que você pelo menos me pedisse para ficar.

Eu desisti de você há uns dois meses atrás. Paramos de nos ver com tanta frequência, e a minha mente já não estava tão ocupada com você. Mas porque cargas d’água você tinha que falar aquilo um dia antes da porcaria da viagem?

Ontem eu juntei uns amigos e fomos comer uma pizza de despedida. Você me arrastou para a orla depois disso, e foi lá que você disse todas aquelas palavras que eu passei anos querendo ouvir.

“Eu te amo”. Olhou fixo para mim, e os meus olhos já estavam molhados. Você segurou minha cintura e se aproximou para um beijo. Foi quando você tentou fazer algo que eu passei anos sonhando.

Tirei suas mãos de mim e me levantei. Enxuguei as lágrimas enquanto uma enxurrada descia no mesmo momento. “É tarde demais.”, foi o que disse. Te deixei lá, peguei um táxi e fui para casa.

Cheguei ao aeroporto e encontrei meus pais, e uns amigos mais próximos. Você não estava lá. Dei adeus e fui para a área de embarque. Quando ele chegou correndo, um pouco desleixado, com cara de uma noite mal dormida. Devagar e calmamente, mas com o coração pulsando cada vez mais depressa, voltei.

- Desculpe-me, por tudo. – E me deu um abraço. Eu retribui com o beijo que deveria ser dado na noite anterior, ou melhor, eu deveria ter feito essa merda há anos atrás. É tarde demais.

Última chamada.

- Que se dane a Alemanha. – Falei no seu ouvido.

- Já atrapalhei demais, quem tem que se danar aqui sou eu. Leve isso com você, e abra quando estiver longe. – Me deu um pequeno envelope vermelho. - Eu te amo, vá.

Fui.

Já devia estar bem no meio do oceano, ou quase isso. Peguei o envelope vermelho, e abri. Havia um papel preto com letras douradas, que dizia: “Glücklich sein”, seja feliz em alemão. Sorri ao ler isso e percebi que era o mínimo a fazer.

Reparei que não tinha reparado quem estava sentado na poltrona ao lado, e vi um alemão bonito de jeans e camiseta e aparentemente jovem. Ele sorriu para mim e eu me senti patética por ter chorado quase o voo inteiro.

- Vai para onde? – Ele perguntou e sorriu.

- Berlin mesmo. Vou passar um ano lá.

- Eu moro lá! Você vai amar aquela cidade... 

E começou a tagarelar sobre a incrível cerveja, as boates loucas, a sua amada cidade natal, Munique, e a sua festa favorita de todas, a Oktoberfest. Eu me apaixonei ainda mais por aquele lugar e percebi que eu morreria de ódio se eu desistisse disso. Ele disse que veio ao Brasil visitar uns primos que moram aqui, e amou esse lugar. Tentou falar português, mas não deu muito certo. Do mesmo jeito que ele disse que o meu alemão não é lá essas coisas. Tudo bem, ele disse que me ajuda.

Acho que já fiz um amigo. A propósito, seu nome é Fred. Que se dane aquele que deixei para trás. Ah, e que ele seja feliz também.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Wishlist: Livros!

http://melinasouza.com/2012/11/19/a-culpa-e-das-estrelas-john-green/
Meu aniversário está chegando aí gente! Tá, parei. Nesses últimos dias eu vim pensando numa wishlist de aniversário, mas coloquei tantos livros nela que achei melhor fazer só uma wishlist literária, depois eu mostro a minha wishlist de CDs, decorações, roupas e outros. Escolhi os 12 livros que eu mais quero para mostrar para vocês, e na verdade eu queria lê-los em inglês, mas não é tão fácil de achar não. Então vocês me dizem o que acham deles nos comentários, pode ser? Vamos aos meus desejos.




1. Fazendo meu filme  1 - A estréia de Fani (Paula Pimenta) -  Escuto falar desta série há muito tempo, mas eu nem tinha tanta vontade de lê-lo. Até que eu soube que a protagonista fazia um intercâmbio na Inglaterra (!) e eu fiquei doida para ler! Deve ser um livrinho adolescente bem gostoso de ler, aposto! O livro conta a história de Fani, uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades. 

2. Jogos vorazes (Suzanne Collins) - Eu estou querendo ler esse livro há muito tempo, acho que ele deve ser muito interessante. E claro, quero tirar minhas próprias conclusões dessa série tão falada! O livro fala dos Jogos Vorazes, uma batalha promovida por uma nação totalitária que só ganha aquele que fica vivo. Quero muito ler!

3. Estrela da noite - Os imortais (Alison Noël) - Esse é o quinto livro da série "Os imortais" e eu quero muito lê-lo para saber o destino de Even e Damon! Já li os outros e gostei, pena que eu não achei mais esse no supermercado, onde eu compro os meus livros. Acho que eu não adianta eu explicar como o livro, já que muita gente não conhece a série, mas é basicamente um livro de imortais, com muitas coisas de magia.


4. A menina do vale (Bel Pesce) - Conheci a história da Bel em um episódio do Profissão Repórter, e já achei super inspiradora. Ela é brasileira, tem 20 e poucos anos, já se formou no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, e já trabalhou na Microsoft, Google e Deutsche Bank. Após se formar, resolveu viver no Vale do Silício, onde se respira empreendedorismo. Ouvi dizer que além de dicas de empreendedorismo, tem muitas dicas de vida e motivação no seu livro, o que me deixou com muita vontade de lê-lo! Disponível de graça na internet, mas eu prefiro a versão impressa mesmo.


5. Anna e o beijo francês (Stephanie Perkins) - A imagem que tenho desse livro é que é um livro bem fofinho e romântico, acho que só pelo nome já dá pra ver isso né? Anna foi mandada pelo pai para um internato em Paris, o que não a deixou nada contente. Até que ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto - que tem namorada. Desse livro eu espero muitos suspiros e lembranças de Paris.

6. O Menino do Pijama Listrado (John Boyne) - Não sei se vocês sabem, mas eu acho a Segunda Guerra Mundial um tema super interessante (e o meu assunto favorito em história!), ainda mais depois de ler "A Menina Que Roubava Livros". A história é sobre um garoto alemão de nove anos, chamado Bruno, que não sabe de nada sobre a guerra, sobre o Holocausto, e muito menos do que a sua família tem a ver com isso. Na verdade, Bruno só sabe que teve que abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama. Bruno fica amigo de Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. E com ele, vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. Me parece muito interessante!





7. Belo Desastre (Jamie McGuire) - Abby Abernathy é uma garota toda certinha.. Ela acredita que seu passado está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com sua 
melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox,é exatamente o que Abby precisa evitar. Tudo fica ainda mais emocionante com uma aposta entre eles. Quando eu li a sinopse eu fiquei com uma super vontade de ler esse livro! Parece ser tão emocionante, sei lá, essa coisa de aposta me animou!

8. Palavra por Palavra (Anne Lamott) - Eu tenho um desejo secreto de escrever bem, mas meus contos, crônicas, poemas ou qualquer outro tipo de texto, convenhamos, não é lá essas coisas. Desejando também melhorar a escrita para o blog, eu quero esse livro, pois parece que tem dicas valiosas, como diz na capa, sobre escrever e viver. Fiquei curiosa e quero ler.
9. Apaixonada por palavras (Paula Pimenta) - Eu não costumava ler livros de crônicas, mas depois que eu comecei a ler uns livros da Martha Medeiros de uma amiga no colégio, eu achei super legal. Então eu vejo essa capa super fofa (que dá vontade de comer!) e eu fico querendo muito esse livro. Nunca li nada da Paula Pimenta, mas pelo o que falam dela, deve ser um bom livro. 



10. A parisiense (Ines de La Fressange e Sophie Gachet) - Quero esse livro a um bom tempo, mas nunca encontro! Acho que vocês já ouviram falar, esse livro tem dicas valiosas de moda, beleza e decoração, além de dicas sobre a capital francesa. Eu deveria comprá-lo antes de visitar Paris, mas mesmo atrasado, eu aceito! Ainda vou voltar lá mesmo, hihi. Sonho muito né?

11. Depois dos Quinze (Bruna Vieira) - Esse livro deve estar na wishlist de boa parte das blogueiras por aí, não é mesmo? A Bruna Vieira finalmente realiza o sonho de publicar um livro, levar os textos do blog para o papel, e eu como uma grande admiradora do seu trabalho,  estou louca para tê-lo nas minhas mãos! Vou poupar vocês de ouvirem o quanto ela me inspira e blá blá blá, mas ver o seu livro lá na minha prateleira vai me motivar bastante a correr atrás dos meus sonhos!

12. O Diário de Anne Frank (Anne Frank) - Por último, mas não menos importante, "O Diário de Anne Frank"! Estou há séculos querendo esse livro (sério!) mas eu nunca encontro. Até no site da Saraiva ele sempre está em falta. Enfim, é um diário verdadeiro de uma garota judia que fica escondida num anexo em Amsterdam com a sua família para não ser pega pelos Alemães Nazistas. Acho que é outro livro que todo mundo já ouviu falar. E se eu já morria de vontade de lê-lo antes, imagina depois de ir no anexo de Anne, em Amsterdam? Eu sei a história,  mas mesmo assim, eu quero muito esse livro!



E aí, qual a wishlist literária de vocês?

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

TOP 4 imprevistos que podem acontecer a qualquer viajante e como resolvê-los


Ola meninas (:

O feriadão chegou. E todo mundo quer viajar, relaxar. Mas em viagens tem coisas que podem tirar a gente do sério e fazer com o que a viagem que era para relaxar e conhecer lugares novos virar uma completa dor de cabeça. Então esteja bem preparada para qual quer imprevisto. 

Vamos lá as dicas para qual quer imprevisto que pode acontecer e como resolve-los.

Perdi o voo na conexão. E agora?
Procure o balcão da empresa aérea no aeroporto, explique a situação e solicite auxílio para a remarcação da sua passagem. Pode ser que haja cobrança de taxa para efetuar a remarcação, além de eventual taxa de serviço local. Esse procedimento é comum, por isso, já esteja preparado para negociar o valor das taxas (sim, é possível negociar!) e pagá-las no local, geralmente em dinheiro ou cartão de crédito.

Minha mala foi extraviada. O que eu faço?
Após serem despachadas, as malas são de responsabilidade da cia. aérea. Então, se a sua bagagem foi extraviada, é importante que você não deixe a área de desembarque do aeroporto até que seja feita uma ocorrência com a sua identificação. Você deverá informar o endereço que estará nos próximos dias, para que a bagagem seja entregue.

Cheguei ao destino final e não encontrei ninguém do serviço de transfer que contratei para me buscar no aeroporto. Vou embora?
Não vá embora! Caso contrário você não terá reembolso do serviço contratado. Por isso, aguarde por cerca de 20 minutos no portão de desembarque do seu voo. Se ainda assim ninguém aparecer, entre em contato através do telefone de emergência que consta na confirmação do serviço transfer. Avise que já chegou e procure permanecer no mesmo local do desembarque para facilitar o encontro.
Perdi meu passaporte. Como faço para obter outro?
Em caso de perda/furto/extravio de documentos, o titular deverá dirigir-se à Polícia local e solicitar a expedição de um Boletim de Ocorrência. De posse desse documento, poderá solicitar a expedição de novo passaporte pela autoridade consular brasileira. Caso não seja possível a obtenção de tal documento, deverá ser realizada uma declaração formal de perda/furto/extravio do documento na própria Repartição consular. A ocorrência será comunicada ao Departamento da Polícia Federal e retransmitida à Interpol para divulgação em todos os países. Outros documentos – como carteira de identidade, carteira de motorista, CPF e título eleitoral – poderão ser obtidos somente no Brasil. A expedição de novo passaporte, por lei, não é gratuita e em caso de não apresentação do passaporte anterior, o valor da taxa cobrada é dobrada. 
Espero que vocês tenham gostado! 

 P.S: Todas as dicas acima foram retiradas do blog intercambio De A a Z


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Discovering Europe: Londres, parte 1


Eu sei que no post de Berlin eu tinha dito que eu falaria de Bruxelas, mas eu preferi pular logo para Londres. Na verdade o dia em que ficamos em Bruxelas não foi tão bom assim, a cidade não é tão legal e ainda passamos o maior sufoco, pois perdemos a bolsa com os passaportes e tudo! Sem ela, não poderíamos ir a Londres. A propósito, eu percebi que vocês não curtem um post tão longo como o de Berlin, então eu fiz de tudo para não falar de Londres de um jeito que não pareça muito longo e cansativo para vocês, tá?


De noite, depois de conseguir recuperar a bolsa, conseguimos embarcar no famoso Eurostar, aquele trem que passa num túnel por baixo do canal da mancha. Sempre quis andar no Eurostar, mesmo que eu fique com um medinho de passar por baixo do mar. Na verdade ele não é nada de outro mundo (quer dizer, os trens europeus em geral são de outro mundo sim para nós, brasileiros, que mal vemos um trem por aqui), e a viagem é rápida e tranquila.

Mas antes, em Bruxelas, tivemos que passar pela imigração britânica e diferente da imigração em Frankfurt (quando cheguei na Europa), os caras foram bem chatinhos conosco, quanta pergunta! Gente, eu por acaso tenho cara de terrorista?


Eu vim ouvindo aquela boa música britânica, e cada vez eu ficava mais animada para conhecer Londres! Chegamos na estação, mas a ficha só caiu quando saímos de lá. A primeira coisa que vi ao por o pé para fora da estação foi a direção invertida. Oh céus, eu estou em Londres! Londres! Um ônibus vermelho passou e eu nem poderia acreditar. Me deu uma vontade imensa de chorar, mas é claro que eu me contive. Arrastamos as malas a pé para o minúsculo hotel perto da estação, e eu fiquei olhando essa vista. "Mãe, eu tô em Londres mãe!"


No outro dia, fomos passear no centro de Londres, e eu ficava maravilhada a cada esquina. Eu já tinha visto outras cidades loucas e cosmopolitas, mas eu acredito que não dá pra ganhar de Londres. É indiano, brasileiro, árabe, inglês, hispânico, americano, asiático... Enfim, é como se o mundo todo estivesse ali, que incrível! Sem contar nos "malucos" que eu nunca teria o prazer de ver tão bem na minha cidade, pelos simples fato das pessoas serem intolerantes de mais. Acho que essa loucura toda é a melhor parte da capital inglesa.


Palácio de Buckingham! Como eu poderia acreditar que eu estava ali? Estava acontecendo a troca de guarda, então tinha muita, muita, muita gente para ver aquele teatrinho um pouco bobo,  cheio de pompa, mas bem legal. Eu sempre achei esses soldadinhos muito fofos, e desde que eu vi o episódio do Mr. Bean com um deles, eu fiquei doida para vê-los também, e mais um sonho foi realizado. Parece bobo, eu sei, mas um dos momentos dessa viagem que quase me fez chorar foi quando a banda da rainha começou a tocar "Yesterday". Não sou fã de Beatles, mas eu sempre gostei dessa música, e parece que tudo se encaixou ali de um jeito que eu fiquei idiotamente emocionada.





É gente, esses pequenos, sei lá de onde, estavam fazendo um passeio de campo em Londres! Fiquei indignada com a minha escola, porque eu estou no nono ano e a maior viagem, foi um bate-volta numa cidade história bem pertinho da escola. Triste fim.



Como fomos para Londres bem pertinho do dia do Jubileu de Diamante da rainha, eles estavam montando esse palco para os shows de vários cantores super legais.




Amei essa foto! Mesmo que o meu cabelo esteja tão estranho.










Na boa, eu só queria saber quem inventa os chapéus da desses caras, eu heim, kk.





Imagina a emoção da garota ao andar no famoso metrô londrino...


OMG! The Big Ben!


Tá vendo essa indiana aí? Ela simplesmente pediu para tirar fotos comigo. Eu me senti a celebridade, hihi. Sabe-se lá porque ela pediu isso né.











Eu gostei de ter andado na London Eye, mas sinceramente eu não achei tão legal quanto parece. É uma volta de 30 minutos, com a vista incrível de Londres, mas por um preço caríssimo. É uma daquelas coisas "tem que ter" numa visita a Londres, mas não tão bom assim. Me emocionei muito mais com outras coisas do que com a volta na London Eye. Já o vídeo 4D, mostrado após ou antes da volta na London Eye é incrível. Meu pai quase chorou, e garanto que ele não foi o único, muito pelo contrário. 





Os londrinos devem achar os turistas tão bobos! Olha a minha cara de felicidade só por estar andando num ônibus vermelho de dois andares, enquanto isso é tão comum para eles. Ainda bem que não quase ninguém nesse  ônibus, e eu não fiquei com tanta cara de retardada por estar achando tão incrível andar num simples transporte público.


E em breve... Londres parte dois! Quem aí já foi/sonha conhecer Londres?