terça-feira, 29 de maio de 2012

O blog I Love To Travel!

               2453317335_25862d787d_z_large
                                                   Imagem tirada do site We it

Olá meninas (: tudo bem? aqui é a Camila! vim fazer uma indicação aqui sobre um blog que eu descobri por acaso e foi paixão na certa! não sei vocês mas tudo que tiver o nome viagem e aventura no meio eu to dentro hehehe! sou daquelas que já deixam a mala pronta e só chamarem que eu vou e foi com essa descrição que o blog I love to travel  ganhou meu coração e sei que vão ganhar o seus também

Quem é a dona?

''Vivo com a mala pronta, para onde me convidarem eu vou! Já morei no Canadá e nos Estados Unidos, já trabalhei na Disney e estou sempre planejando as próximas férias! Amo filmes e seriados,  ir a igreja, ler livros, blogs de moda, vinho tempranillo e queria que minha vida tivesse trilha sonora! Sou casada com um fotógrafo publicitário apaixonado por gastronomia e cinema!''
(Descrição retirada do blog)


Posts ''obrigatórios'' a ler <3 


Post no qual ela fala do Museu-de-anne-frank (No qual a alice foi lá em Amsterdam quem lembra?)

E quem disse que blog de viagem não tem moda aqui ela fala sobre a
Exposição Louis Vuitton em Paris! 


Esses só são alguns dos vários que eu gostei, espero que vocês tenham gostado da indicação
não esqueçam de comentar em? hehehe beijão! ate o próximo post!

terça-feira, 22 de maio de 2012

É preciso ..

“A gente precisa sorrir e chorar bastante e descobrir o lado e bom e o ruim de cada um. Precisa andar na chuva e no sol e sentir qual o melhor solo para se pisar. Precisa tomar uma boa taça de vinho e se lembrar de que é isso que os italianos fazem para viver mais. Precisa aprender a jogar algum jogo de cartas para, quem sabe, passar o tempo com os amigos na falta de luz. Precisa passear por alguns parques e ver os passarinhos namorando em árvores. Precisa comprar presentes e fazer os próprios cartões de felicitações. Precisa sentir a pele arrepiando com o outro entrando pela porta ou gostar de muita gente e amar apenas um. Precisa saber que é inocente, mas não se deixar ser a vítima. Precisa ter bom humor para o celular que acabou a bateria, o chaveiro que sumiu, a manhã que começou ou o amigo chamando no telefone. Precisa ler livros, dar livros de presente, sentir as palavras e até escrever um livro, se assim for. A gente precisa sentir os impactos, mas levantar do terremoto. Precisa lembrar sempre que há alternativas na vida, mas que a morte não tem saída. Precisa ter paciência no fim da festa, calma no domingo em família e atrevimento na oportunidade de emprego. Precisa ter um bocado de roupas coloridas e passar o verão de pés descalços. Aliás, precisa pisar na neve, na areia e na água. A gente precisa deixar uns entrarem e outros saírem. Precisa cozinhar ouvindo uma boa música e tomar menos remédios. Precisa fazer piadas sem graça e não entender outras tantas. Precisa rir do amigo que tropeçou e dar a mão para rirem juntos. Precisa tirar uma moça para dançar ou deixar um rapaz enlouquecido de paixão. Precisa deixar a lágrima cair e a garganta destravar. Precisa ser o momento triste e o momento feliz. A gente precisa arrumar a vida, deixar ela se desarrumar e tentar tudo outra vez. A gente precisa de muita coisa, de uma lista imensa, de um abraço apertado, de um beijo calado, de ver desenhos nas nuvens e carregar crianças no pescoço… A gente precisa ser o que for, vivendo.”

sábado, 12 de maio de 2012

É preciso ser feliz! x))

“Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: “Digam o que disserem, o mal do século é a solidão”. Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias. Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas. E saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos. Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos “personal dance”, incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida? Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão “apenas” dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega. Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a “sentir”, só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós. Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega. Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, “pague mico”, saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta. Mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois. Quem disse que ser adulto é ser ranzinza? Um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: “vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida”. Antes idiota que infeliz!” — Arnaldo Jabor

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Meu amor pelo Kid Abelha!

Kid+abelha+surf_large

Acredito que hoje em dia todos nós, adolescentes, adultos, crianças, temos um um cantor, uma banda, um grupo no qual adoramos. Pronto, cá estou eu compartilhando com vocês a admiração e o amor que tenho pela grupo Kid Abelha. Pois é, galera! A música hoje em dia, além de ser uma arte inenarrável é uma formar de expressar sentimentos que nós, não sabemos como. Então a melhor forma de demonstrar afeto, amor, carinho, acredito que seja essa. Descobri essa minha paixão pelo grupo através das músicas compostas por Paula Toller. Músicas nas quais me define por completo. Adoro todas as músicas, mas como fã tem lá sua preferida, aí está ela...


" Depois que nos encontramos eu esqueço todo tempo que fiquei sem te ver, eu só penso em você, só penso em você... "

Bem, passei aqui rápido pra mostrar do que realmente gosto, sem medo do que os outros irão pensar. Tantas vezes já chegaram pra mim perguntando o porque que gosto de músicas velhas, de grupos que hoje nem existe mais... Mas, eu sei o que gosto, e a quem devo realmente tentar agradar. Por isso digo a vocês, não mude e não deixe de dizer o que pensa por medo do que os outros iram falar ou achar, seja você, pois isso, meu bem, é essencial na vida. 

Espero que tenham gostando, e se gostou, comente! Agradeço desde já . :)

terça-feira, 1 de maio de 2012

Algumas coisinhas dos primeiros dias na Europa

Amsterdam-travelling-4_large
http://weheartit.com/entry/27516043

Como vocês já devem saber, eu tinha uma viagem marcada para a Europa dia 27 de Abril. Pois bem, aqui estou eu, dias depois de ter pego o avião, dando algumas explicações.

Queria muuuuuito postar daqui, falar tudinho que tá acontecendo. Mas estamos na Europa, não é mesmo? Euro caro, primeiro mundo, tudo é pago. Inclusive a internet, que até pega no hotel e no trem, e até em outros lugares, mas custa os olhos da cara pelo tempo usado. 

Meu pai comprou um cartão da Vodafone, que dá direito a algum tempo na internet, mas estamos fazendo um pequeno racionamento, para usarmos só quando falarmos com a minha mãe. Pagamos algumas horinhas de internet no trem, mas depois deu uma louca, e não conseguimos mais usar. Perdemos money, baby...

Ah, mas vou aproveitar e falar um pouquinho disso tudo. Estou em Munique, e já passei por Colônia, Amsterdã, e Nuremberg. Colônia é uma cidadezinha alemã, muito aconchegante, no dia que fui, era fim de semana, então todos estavam lá curtindo seu sol, e também tinha uns shows de rua bem legais. 

Em Amsterdã, estava muito, muito, muito frio. Meu pai queria ir num tal de Van Gogh Museum, e eu não estava nem um pouco interessada. Museus de arte não são minha paixão... Para acabar de completar, pegamos uma fila enorme, e esperamos mais de duas horas para ver alguns quadros de Van Gogh. Depois, fomos no Heineken Experience, que é tipo um museu da Heineken, a cerveja. Eu amei aquele lugar! Vimos a história da Heineken, vimos como se fabrica a cerveja, fomos num simulador 4D que fazia com que você se sentisse a cerveja, ouvimos músicas boas, e no final as pessoas beberam Heineken com os outros visitantes, num bar muito legal, ouvindo músicas boas, tocou até "Ai se eu te pego", hehe. Nossa última atração foi a casa de Anne Frank. Dessa vez quem não queria ir muito era meu pai, mas ele me devia uma. Então, fomos lá. Foi ruim porque tinha muita gente para visitar a casa dela, e lá não era muito grande. Mas por outro lado, eu amei ter ido lá, conhecer um pouco mais da história dela e da sua família, e ter passado por esse lugar onde aconteceu tudo aquilo que tem escrito naquele diário, foi incrível! 

Só vimos uma coisa em Nuremberg. Quem tem boa memória, gosta de história, ou está estudando a Segunda Guerra na escola, talvez saiba do que eu vou falar. Lembra de um lugar, que se parecia mais com um estádio, onde Hitler fazia seus discursos com aquelas ideias absurdas? Tem até uma foto no meu livro de História desse ano. Pois bem, eu fui lá, onde a história foi feita. Na verdade só tem um lado daquilo e algumas outras partes, mas já deu para sentir um pouquinho desse passado negro. Só não tirei muitas fotos, pois achei sinistro tirar fotos ali. Sei lá, como eu iria fazer uma cara feliz num lugar desse? Ou não sei, eu faria cara de enterro? 

Munique... Sabe, eu nem acreditei muito quando cheguei aqui. É tudo muito lindo. Acordamos atrasados, e saímos para o mundo. Rodamos pelo centro, e na verdade ficamos sem caminho, só vagando. É engraçado ver tanta gente com aquele traje dos bávaros. Pensei que aquilo era coisa que só era usada na Oktoberfest. Fomos num museu/palácio, chamado Residenz, e foi muito lindo. Cada coisa antiga tão luxuosa que é de cair o queixo. Tem uma parte que tem jóias, coroas, louças, espadas... Enfim, lindo lindo. Depois, procuramos por uma cervejaria super famosa e antiga, meu pai queria tomar a cerveja alemã, se não o passeio não estaria completo, e aproveitou para visitar outro lugar que além de ser super tradicional, a história também foi feita ali. Era um dos lugares preferidos de Hitler, e era onde ele fazia reuniões do partido Nazista. E o lugar é bom mesmo. Música típica animada, gente vestido com o autêntico traje da Baviera, copos de cerveja gigantescos, lugar bonito... E quer saber? Nem é caro. 

Pois é gente, se eu pudesse eu falava detalhes e mais detalhes agora. Mas está difícil. Estou postando algumas coisinhas no twitter, vê lá se tiver curiosidade para saber da minha viagem. Quando voltar eu conto tudo direitinho. Meu pai já tá mandando eu sair, que saco! 

Beijo gente, não pude colocar as fotos agora, fica para depois.