quarta-feira, 11 de julho de 2012

Conversa com a intercambista: Gianna Maestri em Magnólia, USA


Não sei se já comentei por aqui, mas eu estou planejando fazer um intercâmbio no 2º ano do ensino médio (estou no 9º ano). Bem, ainda estou na fase de convencer meus pais, mas sei que é possível, e vou acabar conseguindo! Mas não vim aqui para falar de mim. É que desde que esse desejo de conhecer uma nova cultura apareceu, eu pesquiso loucamente sobre isso, nos sites das agências, em blogs, e vlogs de intercambistas. Um dia, não sei como, topei com o canal da Gianna Maestri no youtube, e desde esse dia, estou sempre vendo seus vídeos. Ela já voltou para o Brasil, e eu tirei um pouquinho do seu sossego para que ela contasse um pouco como foi toda essa experiência.

A Gianna tem 17 anos é de Florianópolis e morava em Magnólia, Texas, Estados Unidos. Ela foi para lá no meio do seu segundo ano do Brasil, e voltou no meio do terceiro ano. Ela foi Junior (como se fosse o segundo ano aqui no Brasil) nos Estados Unidos. Agora vamos parar de blá, blá, blá, e ver de uma vez o que a moça tem para nos contar?

Quando e por que você decidiu fazer intercâmbio?

Desde pequena eu sempre gostei de viajar e conhecer outros lugares. Eu tinha muita vontade de um dia ir morar na Itália, porque uma boa parte da minha família veio de lá. Mas conforme fui crescendo, meu interesse pela língua inglesa me fez seguir por outro caminho. Quando eu tinha 13 anos, lembro de dizer para minha mãe que eu queria muito um dia ir estudar nos Estados Unidos porque tenho uma tia que mora lá. Eu ainda não sabia muito sobre os programas de intercâmbio, então usei a internet para encontrar formas de tornar isso possível, e foi quando eu encontrei agências de intercâmbio e blogs de intercâmbio. Quando me informei bem sobre o assunto, decidi que era isso mesmo que eu queria fazer, pois era uma forma de aperfeiçoar a língua, aprender sobre uma nova cultura e viver experiências que eu não poderia viver aqui no Brasil.


Como foi que você conseguiu convencer seus pais? O fato do seu irmão já te feito intercâmbio ajudou na aceitação deles?

Eu precisei conversar várias vezes com os meus pais para que eles pudessem aceitar a ideia de fazer intercâmbio. No começo minha mãe resistiu um pouco, tinha medo que algo desse errado e também achava que seria muito tempo longe de mim. Usei todas as informações que eu tinha sobre intercâmbio para ajudar a mostrar a eles que isso seria uma ótima experiência para mim, com o tempo eles foram aceitando. Primeiro aceitaram que eu fosse por seis meses, depois concordaram com um ano. Então eu diria que convenci eles aos poucos. O fato de o meu irmão já ter feito intercâmbio ajudou sim, mas não completamente, porque o intercâmbio dele foi diferente. Ele já tinha 18 anos, já tinha se formado no ensino médio, estava indo para trabalhar e só ficou quatro meses... mas mesmo assim eu sei que isso ajudou ao meu favor! :)


Quanto tempo de aulas de inglês você fez para viajar? Teve algum problema para se comunicar?

Eu fiz aulas de inglês no Wizard por um ano e meio antes de viajar. No começo é normal ter um pouco de dificuldade para falar sim, então eu ficava mais quieta, o que prejudicou um pouco na hora de fazer amizades, mas em pouco tempo fui me soltando mais e falando mais. Acho que foi tranquila a comunicação, nunca tive nenhum problema muito grande que me prejudicasse com isso. 


A Gianna teve uma amiga brasileira no seu intercâmbio, chamada Thainá. Qual a importância dela nessa sua experiência?

A Tainá salvou meu intercâmbio inúmeras vezes. Ter alguém que fala a sua língua e principalmente vem do mesmo lugar que você, dividindo essa experiência incrível - e muitas vezes difícil também - foi super importante pois sempre tive alguém com quem eu pudesse contar, que me entendia completamente. A gente estava vivendo a mesma situação e podíamos contar uma com a outra para qualquer coisa. E brasileiro é brasileiro né? não tem amigo e companheiro melhor para viver tudo isso.


Como era sua host family? Como foi a adaptação a eles, as regras da casa, e a comida?

Eu amo a minha Host Family. Eu tive alguns probleminhas com eles de vez em quando, mas era muito mais no meu interior do que conflitos com eles mesmo. Tem vezes que é difícil morar com uma família que não é a sua, mas também é normal porque não existe família perfeita. A adaptação com eles foi super tranquila, eu me encaixei muito bem na família. Fui me acostumando com as regras e as tarefas de casa aos poucos, mas também não foi muito difícil. Minha Host Mom cozinhava a maior parte do tempo, fazia muita comida mexicana, macarrão e comida chinesa. Me acostumei rápido com a comida porque era muito boa, e eles não tinham muito o costume de comer fora de casa, ou fast food, como a maioria das famílias. 


Como foi sua adaptação à escola? O inglês atrapalhou muito, ou foi tranquilo?  O que é filme, e o que é real?

Demorei um pouco mais para me acostumar com a escola. O fato de lá eles terem diferentes aulas com pessoas diferentes, e de os horários serem meio estranhos me fez levar um pouco mais de tempo para me adaptar. Nos primeiros dias foi sim um pouco difícil com o inglês. Tive que me esforçar para acompanhar os professores, mas eles eram compreensivos e com o tempo foi se tornando mais fácil. Fazer amigos foi difícil, poucas pessoas na minha escola eram receptivas. Eu acho que nos filmes tudo é muito exagerado. Rola sim muita fofoca e briga na escola. Menina roubando namorado da outra, e as panelinhas - talvez não tão nítidas, mas existem. Mas ninguém manda na escola. Não tem aquela pessoa que é a mais popular de todas e que faz o que quer com todo mundo. Tem sim aquelas pessoas que são mais conhecidas, mas cada um anda com o seu grupo e não liga muito para isso.


Qual foi o maior problema no seu intercâmbio?

Acho que o maior problema do meu intercâmbio foi o meu lado tímido e meio anti-social. Eu deveria ter me soltado mais, conversado mais com as pessoas, dado mais abertura para que elas pudessem ter me conhecido de verdade e não ter tido medo de ir aos lugares e fazer coisas diferentes. Mas acho que isso também fez parte do meu aprendizado, e na volta para o Brasil, mudei muito o meu jeito de agir com o resto do mundo. E isso é muito bom para mim e para quem convive comigo. 


Tem alguma coisa que você se arrepende, ou que você mudaria na sua estadia nos Estados Unidos?

É difícil. Acho que deve ter sim várias coisas que eu mudaria. Não sei se me arrependo de algo que fiz, mas talvez das coisas que não fiz. No momento, eu diria que a única coisa que eu mudaria seria o tempo. Eu podia ter ficado mais tempo, e na época não quis e fiz as escolhas erradas. Hoje me arrependo da data de volta que escolhi e daria qualquer coisa para voltar e ter pelo menos mais duas semanas no meu intercâmbio. 


Gianna, deixa um recado para todas as meninas que querem fazer intercâmbio!

O meu recado para todos que querem fazer intercâmbio é correr atrás dessa vontade. Pesquisar bastante, se informar bastante e estudar bastante. E quando você estiver lá, aproveitar cada segundo. Agarrar todas as oportunidades que aparecerem, e nunca tomar nenhuma decisão por impulso. Tudo aquilo que você vive lá tem uma data de validade, vai acabar. E depois você vai fazer muita falta! Espero que todos vocês consigam viver essa experiência e que seja tão bom quanto foi para mim. Boa sorte!


Veja os vídeos do Diário de Intercâmbio da Gianna

Alguma pergunta para ela? Pergunte no seu Formspring.

Sigam-na no twitter @giannamaestri


UPDATE: A mãe da Gianna, Chuchi Silva, passou aqui no blog e deixou um comentário que eu tenho que dividir com vocês:

"Se alguém aí precisar convencer os pais, pode mostrar meu comentário: sou a mãe da Gianna e foi, sim, bem difícil ficar tanto tempo longe dela (é a nossa única menina e a mais nova tb...). Mas valeu a pena. Foi um grande empenho, mas todos os dias em que sentíamos saudade, também estávamos orgulhosos. A Gi cresceu muito, conheceu uma nova cultura e aprendeu a conviver com gente nova e a respeitar ainda mais as diferenças. Sem falar na amizade eterna que hoje temos com a host family que tão bem a recebeu!"

É sempre bom algumas palavras de uma mãe que passou 10 meses longe da filha, mas que sabe como é bom para ela toda essa experiência, e mostrar para os nossos pais para convencê-los, não é mesmo? Eu mesmo vou mostrar!

Obrigada Gianna, por dividir um pouco disso conosco <3

 Quem gostou de conhecer um pouquinho do intercâmbio da Gianna levanta a mão! o/ Alguém aí já fez intercâmbio, ou quer fazer? Me contem, me contem!



12 comentários:

  1. Adorei, quero muito fazer um intercambio.
    thefashiondreamer.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero! Temos que lutar para conseguir, heim?

      Excluir
  2. Oi! Se alguém aí precisar convencer os pais, pode mostrar meu comentário: sou a mãe da Gianna e foi, sim, bem difícil ficar tanto tempo longe dela (é a nossa única menina e a mais nova tb...). Mas valeu a pena. Foi um grande empenho, mas todos os dias em que sentíamos saudade, também estávamos orgulhosos. A Gi cresceu muito, conheceu uma nova cultura e aprendeu a conviver com gente nova e a respeitar ainda mais as diferenças. Sem falar na amizade eterna que hoje temos com a host family que tão bem a recebeu! Em tempo: muito boas as perguntas da Alice Renise! Você já pensou em ser jornalista? (hehehe, eu sou...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário Chuchi, vou até mostrá-lo para convencer meus pais! Sim, já pensei sim, e se tudo der certo vou fazer jornalismo na faculdade. :D Ah, adoro o canal da sua filha, viu?

      Excluir
  3. Aii, quero muito muito fazer intercâmbio!
    Mas no meu caso seria universitário, já que a escola já se foi : /

    Amei o blog, e já estou seguindo ; )

    Beijinhos <3

    www.shoeccessful.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mesmo que não seja na escola, há várias maneiras de se fazer intercâmbio! Por que você não dá uma olhada nos sites das agências e ver qual programa se encaixa nas suas condições? Isso me deu até uma ideia de post no blog!

      Excluir
  4. oooi simplismente ADOREI o post esta nos meus planos fazer intercambio tem vaarios intercambistas na minha escola a minha irma fez um de 3 meses e minhas primas de um ano eu ainda to estudando o que é melhor pra mim e o que cabe no bolso dos meus papais hahaha

    meu blog é um pouco novo eu so entro mesmo em epoca de ferias quando eu começar a ver o meu tão sonhado intercambio eu posto tuudo lá da uma passadinha se voce puder me dar algumas dicas eu adoraria eu amei o seu aqui to seguindo e por favor se der pra postar mais coisas de intercambio eu ia ficar muito feliz hahaha

    http://ptialina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Laís! Também estou louca para fazer intercâmbio, e se tudo der certo estou num avião daqui há dois anos em direção aos EUA!

      Excluir
  5. Oi!
    Obrigada pelo comentário na postagem sobre os cabelos coloridos lá no Coisas Afins ^^
    Eu planejo um intercâmbio para a Austrália, mas ainda não tenho uma ideia que quando. Quero muito conhecer outros países e ficar neles por um tempo para vivenciar sua cultura. Viajar é uma delícia e é uma coisa que eu quero fazer até ficar velinha! haha
    Beijos,
    Ana Luiza
    http://coisasafiins.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viajar é a melhor coisa do mundo! Se puder, vá, tenho certeza que vai ser uma ótima experiência sair um pouco da rotina.

      Excluir
  6. muito legal você compartilhar suas fotos...Mostrar tudo sobre você adorei seu blog muito perfeito e você é uma fofa :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa eu esclarecer uma coisa: a menina da entrevista NÃO sou eu. Mas fico grata por gostar do blog, faço com todo o carinho. *-*

      Excluir

Dê seu pitaco!