terça-feira, 3 de abril de 2012

Viagem para Delmiro Gouveia, Paulo Afonso e Canindé do São Francisco.


Foi sob um pôr do sol lindo, sexta-feira dia 16, que eu, minha mãe, meu pai e minha irmã, pegamos a estrada até Delmiro Gouveia, onde passamos a noite. No meio do caminho, encontramos com minha tia Mara, tio Marcelo, meu primo Jorge, e minha prima Mayra, e nos juntamos a eles.


Dormimos e no outro dia fomos passear. Fomos para a Usina Hidroelétrica de Angiquinho, ela está desativada. Angiquinho foi a segunda hidrelétrica do Brasil, e a primeira no nordeste. Com uma bela vista para o rio São Francisco, tivemos uma boa aula de história e ainda compramos algumas lembrancinhas na lojinha de lá.

De Angiquinho, fomos para a cidade de Paulo Afonso, na Bahia. Paramos na prainha, que na verdade é um lago artificial, e almoçamos num restaurante por lá. Descansamos um pouco, e ficamos conversando. Comemos tilápia frita e carne de sol com batatas fritas.

Depois, fomos visitar a Usina Hidroelétrica de Paulo Afonso. Foi bem legal ver a usina velha, e a usina nova. Fora que o guia era uma pessoa super culta, e nos deu até uma pequena aula de matemática – não entendi nada, mas tudo bem. Vimos a chamada ponte de Nazaré (onde a Nazaré, vilã da novela Senhora do Destino, suicidou-se), além de entrar num túnel, com milhares de litros de água sob nossas cabeças, e vimos também o interior da usina, porém não podemos entrar lá.

Esperamos o entardecer numa pracinha onde as pessoas da cidade se encontram. Tomamos caldo de cana, andamos pela pracinha e tiramos algumas fotos. Ficamos um pouco de bobeira e voltamos para o hotel onde comemos por lá mesmo e dormimos.

No outro dia, fomos para Canindé do São Francisco, em Sergipe. Lá nós passamos num memorial para tirar algumas fotos, e depois fomos para o passeio de barco nos Canyons do São Francisco. Gente, o lugar em que pegamos o barco parecia ser muito phyno

E esse passeio de barco, na minha opinião, foi a melhor parte da viagem. Esperamos a hora de o barco sair, e embarcamos. Ao som de uma boa música nordestina, ficamos sentindo aquele ventinho gostoso no rosto, comendo uma boa comida e vendo os Canyons de outro ângulo: de dentro.  Até que chegamos até o Porto de Brogodó.

Achou o nome familiar? É que foi lá que foram gravadas algumas cenas dos primeiros capítulos da novela Cordel Encantado, e o nome do porto é porque o nome da cidade fictícia onde a novela se passou é Brogodó, por isso se chama Porto de Brogodó. O lugar é muito lindo, e é lá que também tem a parada para banho.  Vou logo dizendo que é muito fundo, mas é seguro, a água é quentinha, e tem boias também.  Tem uma gruta lá perto, muito linda, e nós fomos de canoa, vale a pena!

Fizemos o caminho de volta, e desembarcamos no mesmo lugar. Almoçamos no restaurante Carrancas, e pegamos a estrada de volta para casa.























Eu já fui muitas vezes para o sertão, pois meu pai tinha um trabalho extra na área de engenharia elétrica, viajava muito por causa disso, e me levava de vez em quando. Já fiz também outra viagem como essa, só que com outras pessoas. Muita gente acha que lá só tem um deserto cheio de cactos e pessoas sofridas sem água para beber. Mas no sertão nordestino tem muita coisa linda e legal de se ver e fazer. Fora o que eu falei que fiz nessa viagem, tem várias outras coisas nesse lugar. Vale a pena, recomendo!

2 comentários:

  1. quem disse que no Brasil não existe lugares bonitos hem? rsrs
    Adorei seus passeios.
    A propósito, qual máquina você usou ??

    bjos

    http://diariociumento.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí tem fotos de duas câmeras misturadas, a minha e a da minha prima. Não sei o modelo dela, e nem da minha na verdade, só sei que a minha é uma Sony Cybershot normal, com 16 mega pixels, só isso, kkk.

      Pois é Mari, o Brasil tem muuuuuuuuuita coisa linda!

      Excluir

Dê seu pitaco!